segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Coisas passadas...


Quero tentar perceber porque que o medo do passado me persegue, porque que agora não consigo fazer aquilo que fazia, porque que desconfio tanto das pessoas e porque que tenho medo de arriscar. Fazendo com que sofra na mesma eu e não só. E muitas vezes sei perfeitamente que não estou a ser correcta talvez com uma pessoa que não tem culpa nenhuma do que eu passei, e muitas vezes não lhe dou o verdadeiro valor. Tenho medo de me magoar novamente, tenho mesmo medo de voltar a sofrer novamente como sofri e isso é que o menos quero. Quero seguir em frente, quero ser novamente confiante e confiar nas pessoas sem medo (sim claro, naquelas que me dão motivos para confiar).  Só quero que tu PASSADO SAÍAS DA MINHA VIDA DE UMA VEZ POR TODAS!!


segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

(...)I don't know(...)

Talvez não me acredite no que vou agora escrever, ou talvez eu não queira saber que isso pode ser verdade. Mas sinto que estou a recuar alguns tempos atrás, será recuar o termo mais certo? Pois, isso eu não sei. è a duvida que permanece dentro de mim. Para ser completamente sincera pensava mesmo que já não me fazias falta, pensava que já conseguia viver sem ti, pensava que já eras passado e que tudo o que vivemos já tinha ficado para trás. Mas será que estou enganada? Nestes últimos dias parece que te arrastas perante de mim, parece que puxas o meu coração para ti. Será por alguma coisa? Será que tu precisas de alguma palavra mim ou um gesto? Não sei, mas a verdade e custa admitir a verdade é que nestes dias não me tens saído do pensamento, e sempre que penso em ti lágrimas fazem força para invadir os meus olhos. Tento ser mais forte mas não consigo. Será que é da distancia e do tempo que não nos vemos? Pois também não sei. Mas sinto que se te visse era algo de normal, que nada iria acontecer de estranho ou especial. Só queria uma pergunta para isto. Eu disse que ia seguir um caminho em frente e que iria construir o meu próprio caminho para ser feliz, e que sabia que iria cair muitas e muitas vezes. Será que estou a cair novamente para depois me levantar? Não sei também. Só sei que começo a ficar sem forças para lutar, sem forças para comer, e acima de tudo sem forças para sorrir, e quando eu perder o meu sorriso será um péssimo sinal, irá ser um sinal que já não estou viva mas sim morta!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Que mundo é este?

Sinceramente? Bem sinceramente já não sei em que Mundo nos encontramos ou mesmo em que século estamos. Quanto mais vejo mais espantada fico, ou aliás, quanto mais vejo mais não quero ver, dizendo assim. As vezes ou a maioria das vezes tenho pena de pertencer a uma juventude como a nossa. Juro que não entendo isto, raparigas e rapazes com apenas 16/17anos a pensar que já são Reis e donos de tudo, pensam que são mais que os outros e que têm tudo de maravilhosos na vida deles. O que eles pensam mesmo é que são os Reis ou Rainhas da zona deles, e isso realmente não me cabe na cabeça. Nascemos todos de maneira igual, todos choramos quando saímos do ventre da nossa mãe, todos temos momentos de fraqueza e de desgosto. E eu não entendo aquelas pessoas que demonstram serem felizes e terem todos os seus ''amigos'' com elas, quando no final elas por detrás escondem grandes segredos ou grandes desilusões, e os ''amigos'' que elas pensam que têm ao lado delas, quando elas mais precisaram não irão estar lá para as apoiar. Essas pessoas que se fazem de fortes e reis/rainhas de tudo são as pessoas mais fracas do mundo são as pessoas com mais problemas, e eu não consigo entender o porque delas por vezes encontrarem uma pessoa com menos possibilidades que nós e não lhes conseguirem dar ajuda, passo a citar, falo de todo o tipo de problemas, cegueira, problemas de audição etc. Porque não são só essas pessoas mas também outras fingem que talvez ao lado delas não está ninguém, devido aos problemas que elas têm, e muitas vezes essas pessoas por motivo algum precisam de ajudas e elas ignoram? Será que não conseguem perceber que essas pessoa são pessoas completamente iguais a nós? Será que não conseguem perceber que podem vir a ter um filho,primo, neto assim? Não consigo entender em que Mundo vivemos, e como ainda conseguem existir pessoas tão hipócritas.
Enfim...

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Coragem...

Será possível? Não não é mesmo! Por mais que te queira tirar da minha cabeça, da minha mente do meu coração, parece que o destino não me deixa! E pergunto o porque disso com revolta, se estou determinada em esquecer-te em que saias da minha vida! É impossível, em cada esquina que eu viro tu estás lá, por cada caminho que sigo encontro-te lá, e parece que estás sempre feliz ou com um sorriso nos lábios. Também não te estou a dizer para andares a chorar pelos cantos, mas a serio, tudo o que se passou connosco para ti, já não vale de nada, para ti já foi? Pergunto-me juro, vezes sem conta, mas não obtenho resposta alguma. Agora explica-me a serio, como conseguirei seguir em frente se tu, estás onde eu estou? Se me esbarro contigo, em alguma ocasião, e a minha vontade é sair dali para fora, para não te poder encarar. Medo? Fraca? Não, de todo mesmo! Coragem para te esquecer mas não conseguir. Se me deixares ir onde tenho de ir, eu vou, mas não consigo, sabes porque? Porque ainda muitas e muitas perguntas estão dentro de mim, que necessito de respostas para o qual saber que tenho tudo para nunca mais voltar ao meu ''outro mundo'' o outro meu mundo que era eu e tu! Ouvir a tua voz, não ajuda, querer esquecer, e ouvir cada palavra tua a entrar dentro de mim, a ver todos os teus gestos, e a ver todos as tuas maneiras, fazem com que deixe de ter forças para te esquecer. Mas como já disse, vou passar por tudo e todos para te esquecer, nem que para isso tenha de fazer algo, algo mesmo seja o que for. Mas vou esquecer-te, e a tua voz nesse momento já vai poder entrar dentro de mim, porque esse momento vai ser insignificante para mim, vai ser um momento que direi, já te esqueci!


terça-feira, 7 de junho de 2011

Ser capaz.


Acabei por pensar em muitas e muitas coisas, que comigo e contigo se passaram. Posso eu odiar-te? Acho que não, simplesmente posso ter como tenho a dor maior do mundo, a dor de um amor que eu queria para sempre mas que acabou por ter um fim. Não posso odiar-te e para todas as pessoas que me perguntem o porque, eu esclareço agora. Porque foi contigo que mais aprendi, á cerca do amor, á cerca da amizade basicamente contigo aprendi um pouco de tudo. Como poderia odiar-te? Não, por um lado agradeço tudo o que contigo aprendi, e que passei, foram mais de dois anos sempre a crescer ao teu lado, falo em crescer mas em mentalidade e maturidade. Contigo, aprendi a ver muitas coisas que talvez hoje ainda não soubesse o que seria, porque só numa relação como a nossa, se aprende. Agradeço todas as vezes que me ouvis-te e que me deste conselhos, todas as vezes que contigo chorei e aprendi a rir. Cresci muito mesmo, agradeço-te por tudo, por me teres feito sorrir, por me teres feito chorar, por me teres tornado no que sou hoje, uma jovem com forças e capaz de enfrentar tudo sem medos. Por isso mesmo sei que vou conseguir enfrentar todo este sentimento que me domina, toda esta dor que me afecta e todo esta amor que acabou por ter um final. Eu adoro histórias de contos de fadas, quis acreditar que a nossa era assim, talvez por ter acreditado nisso, é que acabei de sofrer como sofri. Sei que tudo tem um final, nesta vida tudo acaba tudo tem um ponto, por mais que uma pessoa não queira. Aconteceu connosco, ia acontecer mais cedo ou mais tarde, mas ia acontecer por mais que não quiséssemos. A vida é assim, e no amor também. Um amor nasce, desenvolvesse mas acaba por ter sempre um final. Enfrentam-se barreiras nas quais nem sequer pensamos que teríamos forças para tal. Só te quero tirar da minha cabeça, não vou dizer que não me magoas-te porque me magoas-te muito e me desiludis-te, mas o tempo não volta atrás simplesmente com o tempo temos de tentar melhorar tudo de errado que fizemos, só te peço que te ''salves'' e sejas feliz. Porque eu com a força que aprendi a ter contigo, vou ter de construir um caminho novo, sei e tenho a certeza que vou cair muitas e muitas vezes, vou-me desiludir muitas e muitas vezes, mas assim vou olhar para trás no final de tudo e dizer: '' Fui capaz, consegui, e tudo que com ele aprendi não foi nem nunca irá em vão''


domingo, 5 de junho de 2011

Perdida...

Já não sei o que fazer, juro que já não sei mesmo. Estou perdida num caminho que não vejo fim, e que não sei por onde ir! Largas-te a minha mão, largas-te o meu coração, e isso foi a pior coisa que tu algum dia me podes-te fazer. Sabes estou no chão, estou mesmo, podes sentir-te vitorioso, não quero saber, mas sabes, estou mesmo mal, e completamente sem forças, segundo a segundo te tenho no meu pensamento. Mas muitas vezes penso que tu não és a pessoa que eu conheci á alguns anos atrás, não és mesmo! Tu queres ser outra pessoa, mas eu sei que tu no fundo lá no fundo, ainda és aquela pessoa maravilhosa divertida e cheia de alegria. Agora eu digo-te o que és, e cada vez mais me arrependo de algumas coisas, de por exemplo não ter dado ouvidos a muita muita gente que me queria abrir os olhos e eu estava completamente cega, mas como dizem o amor, é cego, e era exactamente como eu estava. Agora és um falhado, uma pessoa que não cumpre promessas e não as realiza, não acreditas em ti mesmo, és uma pessoa que se deixa levar por mesquinhos, e que no final de tudo vais ver quem eles eram verdadeiramente. Enfim mas estou aqui pra te dizer o que tu és, mesmo que não queiras saber ou penses que é tudo treta. Já sei sim já sei isto á algum tempo, isto não só de agora, mas mesmo desde que estava contigo, mas quis sempre sempre fechar os olhos e acreditar em ti, porque? Porque eu sim, gostava e ainda gosto mesmo de ti, agora tu? Não venhas mais com falas ou jogos a dizer que sempre gostas-te de mim! Para mim, acabou! Sei que estou farta de dizer isto, mas fiz uma jura a mim mesma, pode levar dias meses ou mesmo anos em esquecer-te porque não vai ser fácil. Mas vou esquecer-te eu sei que vou e vou lutar contra tudo e todos para isso acontecer! Não duvides, não mesmo. Agora apenas me metes realmente pena e me fazes chorar ainda mais por a pessoa que te tornas-te e és mesmo hoje! Nunca pensei, cada vez me desiludes mais, agora? A cada instante! Fomos felizes muito mesmo, tu serás sempre o meu primeiro e verdadeiro amor, e jamais mesmo saíras dentro de mim. Mas agora faz o mesmo, sei que por mais que não estejas comigo e com outra pessoa, eu ainda estou bem viva no teu pensamento, não digas que não, conheço-te suficientemente bem, e sempre assim foi. Faz de tudo para me tirares do teu pensamento e me esqueceres de uma vez por todas, porque eu? Vou fazer exactamente  o mesmo sem duvidas! Mas por favor não passes por mim a fazer-te de forte, porque assim ainda me dás mais certezas que cada vez estas mais lá em baixo, e mais pena me dá. Não vou esquecer nada que passei contigo, nada mesmo, ficará sempre tudo num cantinho do meu coração. Mas por agora chega, eu sei e sinto que agora já não podemos viver mais nada, já não seria uma relação saudável. Por isso, espero um dia um dia sim encontrar-te bem realmente bem e feliz! Mas também te peço não esqueças nada que se passou entra nós!



quarta-feira, 1 de junho de 2011

Até um dia!

Sabes que mais? Estou farta sim, estou farta, farta disto tudo! Explodi, rebentei, abri os olhos! Estou revoltada comigo mesma. Por mais que te ame, por mais que queira tudo de novo, tenho de dizer 'não'! Não consigo estar sempre a fazer tudo e tudo para depois ficar sempre magoada como fico, não consigo! Começar, acabar, começar, acabar, não aguento mais, juro-te! Amo-te como mais ninguém te ama, mas tu magoas-me como mais ninguém me magoa! Custa-me sim, custa-me saber que tenho de aceitar, e também me custa dizer que prefiro que acabe tudo de uma vez por todas do que andar a fazer jogos! Eu ainda sinto o mesmo, tenho o mesmo sentimento por ti como no nosso primeiro dia de namoro, já fez dois anos, não parece muito tempo, recordo-me de tudo que se passou como se fosse ontem. Tu és a minha fonte de felicidade, de inspiração, e a minha força. Fiz tudo o que consegui por ti, tudo! Mas com isto ainda morro mais por dentro, saber que todo o meu esforço não valeu para nada, nada de nada! Nunca te esqueças das juras que me fizeste das promessas que prometes-te a mim, a ti e a nós!Agora deixei de acreditar nisso, fizeste-me ver a vida de maneira diferente. Não quero saber de promessas que alguém me faça nem mesmo de juras, era em ti que confiava era a ti que eu queria para o resto da minha vida, e eu era quem tu querias para o resto da tua vida, como as juras e promessas que fizeste! Mas não resultou nem as realizas-te! Sabes sempre que me fazes isto, parte de mim derrama, parte de mim derrete, por me fazeres acreditar em coisas que sei que não se iria realizar! O meu coração parece que já nem força para bater tem, fico sem força para andar sem forças para respirar! Por mais que eu diga que nunca mais te quero, é mentira quero-te mas não posso, e vou ser mais forte que tudo, e por um ponto onde talvez já se devia ter colocado. Porque se fomos feitos um para o outro, não poderíamos estar sempre afastados um do outro; e isso acontece comigo e contigo! Chega de promessas, chega de lágrimas, e de mentiras, chega!!!! Tivemos a nossa história e fomos muito felizes, mas deixei de acreditar e cada vez acredito menos que alguma história dure para sempre! Se for a ultima vez que te possa dizer o quanto te amo, vai ser agora. 
Amo-te como nunca ninguém te amou, mas também sei que amas como ninguém nunca me amou! 
P.S: Até um dia!



quinta-feira, 26 de maio de 2011

1 # Carta para uma pessoa falecida com a qual gostavas de falar

Em primeiro queria já dizer-te que nunca pensei em escrever-te, mas não vi outra maneira melhor para o fazer. Penso e falo contigo muitas vezes, mas assim sei que estás ao meu lado a ver tudo o que vou tentar transmitir por palavras, e tudo em que vivemos enquanto cá estives-te!
Penso em ti muitas vezes, e sabes bem que é verdade, muitas vezes quando chega á hora de dormir, penso que estás ao meu lado na minha cama junto a mim, e falo contigo como tu ali estivesses, digo para tu nunca me deixares falo-te e relembro muitas coisas que fazias que me deixavam maravilhada de felicidade! Sei que nunca morres-te que estives-te e estás cá sempre a olhar por mim, és a tal estrelinha no céu, para mim a que brilha mais!
Sim, tenho recordações de ti, podia ser pequenina e até podíamos estar não muito tempo juntos, mas lembro-te como aquele senhor que chega a casa e estava junto da lareira no inverno e também no verão, sim porque aquele cantinho que eu lembro é o teu cantinho, é o cantinho que quando entro por aquela casa a dentro me faz lembrar de ti, tu ali sentado como um rei completamente, e eu dava-te logo um beijinho, e falava contigo, podia não ser muito, mas se hoje cá estivesses acredita que te trataria como um verdadeiro rei um verdadeiro rei de família! Talvez por ser pequenina ainda não entendesse o verdadeiro significado que tinhas para mim, com o passado do tempo, é que fui sentido cada vez mais a tua falta e eu também o quanto te queria ter por perto! (neste momento, apetece-me chorar por tudo o que estou a relembrar e por te estar a relembrar também, por estar a lembrar-me tão bem de ti, como se fosse hoje!) Lembro como se fosse hoje o momento que o meu pai disse que tinhas partido. Tentei nunca mais lembrar-me desse momento, porque foi um dos mais horríveis, saber que uma pessoa uma verdadeira pessoa que nós amamos parte, não digo para sempre porque eu sei que ainda iremos estar juntos, e estás a minha espera á minha, como de todos os outros.
Estava uma mala em cima da minha cama, mas também na do meu pai e na do meu irmão, não entendi a razão pela qual elas estavam ali, por isso perguntei. 
« Papá, onde vamos? Esta uma mala em cima da minha cama porque?? » Não entendi, e ele não me respondeu logo, fiquei um pouco preocupada por não me dizer a razão, por isso, fui ter novamente com ele á sala, e ele estava a arranjar o sofá, e estava com a cabeça para baixo quando foi então que me respondeu com lágrimas no olhos:
« O avó, morreu... » Não quis acreditar, mas devia de ter sido uma das primeiras vezes que vi o meu pai a chorar. Não aguentei, fui a correr, para o quarto de banho e comecei a chorar como se não houvesse amanhã, senti uma dor, um pedaço do meu coração a cair. Ainda hoje choro por ti, choro por não te poder ter dito muitas coisas que gostaria de dizer. 
Mas logo de seguida limpei as lágrimas e saí do quarto de banho a fazer-me de forte e não chorei á beira do meu pai, ele já estava mal o suficiente não queria que me visse também mal, por mais que ele soubesse como eu estava. 
Eu e o meu irmão fomos ter com a minha mãe e também foi uma das vezes que vi o meu irmão a chorar da maneira que chorou. « Mamã, mamã! o avô! » e não aguentei desmanchei a chorar chorar e a chorar sem conseguir acabar o que tinha para acabar. A minha mãe não percebeu e abriu aqueles seus olhos lindos, e perguntou « Que se passa Vanessa? Que se passa Tiago? » chorei ainda mais e respondemos... « O avô morreu » Ela abraçou-me a mim como ao meu irmão com uma força e carinho que só ela sabe fazer! E de seguida disse. « A vida é assim, toda a gente parte, mas vá, não fiquem assim, ele não vos deixou mesmo, está ali em cima, no céu a olhar por vocês » lembro-me que ela estava em estado choque e que estava também com lágrimas nos olhos, mas queria fazer-se de forte. De seguida eu disse « Não quero ir ao funeral do avô, não quero!!! » também ela disse logo não vais, era tão pequenina que acho que iria ficar chocada. Desculpa se fiz mal, em não me ter despedido de ti, desculpa se alguma vez te desiludi. Tu nunca me desiludis-te, pelo contrário, para mim por tudo o que continuo a ouvir de ti para mim foste um grande homem, um homem que todos os membros da família respeitavam! Contam-me histórias que se passou contigo e tento ouvi-las sempre com um enorme brilho e sorriso na cara! 
Devias de ter estado lá, porque estás sempre connosco. Foi no Natal, estavamos todos juntos, e o Tio começou a falar de ti, sim já estava um pouco animado demais, mas quando ele começou a falar de ti, as lágrimas dele escorreram pela cara dele abaixo, mas ao mesmo tempo que contava estava a rir-se. Levei aquilo como uma recordação de ti, não boa, mas sim excelente! Porque ao mesmo tempo, nós choramos de por ti de saudades, mas também te relembramos com um sorriso na cara por tudo que fizeste!
Sei que nunca tive a oportunidade de te dizer o quanto te amava, mas já que estou aqui vou dizer-te:
AMO-TE AVÔ ATÉ JÁ FICA SEMPRE COMIGO!


sábado, 14 de maio de 2011

Um mundo feito por mim!

Já me apeteceu ir para cima de uma montanha e gritar até ficar surda, já me apeteceu comer uma muralha feita de chocolates, também já me apeteceu ir para o metro e tocar viola, e não só, isto continua, já me apeteceu andar no céu como um pássaro mas não tenho assas, apeteceu-me andar nas nuvens, e também me apeteceu ir ás estrelas. E eu já realizei todos esses meus desejos. Sim, já os realizei. Não acreditam? Juro que realizei, num mundo que só é o meu, num mundo que eu construí sozinha, porque na vida real não conseguia; não só porque é impossível mas também pela ingratidão e a falsidade das pessoas de hoje em dia. Por isso, não liguei a comentários nem a insultos, construí sozinha um mundo em que tudo o que me apetece eu consigo realizar. Lá posso voar, posso comer uma muralha feita de chocolates e posso chegar ás estrelas. Como é esse meu mundo? Bem, esse meu mundo, é cheio de cor, brilho e felicidade. E sim também existem pessoas, mas essas pessoas não são como as pessoas deste mundo cruel e cinzento. Lá as pessoas, andam sempre com um brilho nos olhos e sorriso nos lábios, ninguém se importa com a aparência nem com o que essa pessoa faz. Neste mundo se alguém é rejeitado por uma pessoa, passa logo a ser rejeitado por todas as outras á sua volta, e isso não é cruel? Sim é horrível sem duvidas. Por isso eu tive essa ideia de construir outro mundo, um mundo só e só meu em que posso fazer, dizer tudo o que quero, porque nesse mundo todos me compreendem.
Eu realizei e resultou.